Rastreadores e bloqueadores "via satélite" será que todos são?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Rastreadores e bloqueadores "via satélite" será que todos são?

Mensagem  Adilson (virso) em Dom Maio 24, 2009 7:21 pm

SERÁ QUE TODOS ELES SÃO? RASTREADORES E BLOQUEADORES "VIA SATÉLITE"

Sempre estamos nos deparamos com anúncios nas televisões, rádios, jornais e revistas sobre os mais diversos sistemas de segurança veicular. As propagandas veiculadas por diversas empresas, enfatizando o termo “VIA SATÉLITE”, nem sempre refletem a realidade, ou seja, a comunicação direta entre o veículo e o satélite e vice-versa. Esse termo, em grande parte, camufla o real funcionamento do sistema, levando muitos consumidores ao engano! Para esclarecer um pouco sobre os sistemas, é importante conhecer o principio de funcionamento de cada um.

Primeiro, vamos definir o que é GPS:

Trata-se de um sistema de navegação via satélite. GPS é a sigla de Global Positioning System. São satélites que estão em órbita ao redor da terra, através de uma rede, em formação precisa, numa altitude aproximada 21.000 Km. Transmitem informações de tempo e distância continuamente. A freqüência que o receptor de GPS opera é de 1.575 Mhz. Receptores de satélite de navegação, que comumente conhecemos como GPS, usam estas informações para calcular uma localização exata por triangulação. Como sabemos, todo ponto na Terra é identificado por dois conjuntos de números chamados coordenadas. Estas coordenadas representam o ponto exato onde uma linha horizontal conhecida como latitude, cruza uma linha vertical conhecida como longitude. O receptor de GPS localiza pelo menos três satélites e usa as informações recebidas para determinar as coordenadas Geográficas no receptor de GPS.

Comparando o tempo em que os sinais foram transmitidos dos satélites e o tempo que eles foram registrados, o receptor de GPS calcula a distância de cada satélite, sendo no mínimo computado a distância de três ou mais satélites, que resultará na sua posição na superfície da terra. Com estas distancias medidas, o receptor também poderá calcular velocidade e poderá calcular o tempo de viagem, distancia, altitude, dentre outros feitos.

O receptor de GPS pode exibir sua posição nos seguintes formatos:

- Latitude e Longitude,
- UTM – Universal Transverse Mercator
- MG – Military Grid
- ou simplesmente, como um ponto em um mapa eletrônico. Muitos receptores de GPS interagem com dados de cartografia internos (programados) e faz da navegação por satélite uma ferramenta fácil.

Linha de visada dos satélites de GPS:

Isto significa que três satélites, no mínimo, devem estar no campo de visão do receptor de GPS (que ele possa enxergar) para o correto calculo da latitude e longitude da localidade. Um quarto satélite também deve estar dentro de linha de visada, para que seja possível calcular a altitude. Em média, oito satélites estão continuamente na linha de visada, em qualquer posição na Terra. Quanto mais satélites forem enxergados, mais preciso será o posicionamento! É importante ressaltar que, embora os sinais emitidos pelos satélites de navegação atravessem nuvens, vidro, plástico e outros materiais de baixa densidade (leves), os receptores de GPS não trabalharão ocultos (sem linha de visada) ou debaixo d'água.

Precisão:

A precisão de um receptor de GPS, em média, é de 15 metros. De acordo com a sofisticação do receptor de GPS, empregam-se várias tecnologias para aumentar a precisão do receptor. Um modelo profissional, sofisticado, pode ter a precisão de 3 metros ou melhor, sendo obtido através do uso de sinais de correção de satélites de navegação. Nos Estados Unidos, é admitida uma precisão de 3 metros, através de correções obtidas em pontos fixos, conhecidos como WAAS (Sistema de Aumento da Área de Abrangência). Na Europa, um sistema semelhante provê a mesma precisão denominado EGNOS. Na Ásia, o sistema de correção é provido pela MSAS. Outras metodologias para aumentar a precisão da navegação em satélites de GPS, incluem o uso de DGP; estações de revezamento de solo, fixadas em posições conhecidas, que transmitem sinais de navegação de satélites já corrigidos. Vários métodos e aplicações de DGPS podem aumentar a precisão da navegação através de GPS, de alguns metros para alguns milímetros. Usando DGPS é necessária a utilização de equipamentos sofisticados. Outro sistema de precisão é o RTK. Este é um receptor capaz de transmitir um sinal com fase-corrigida, de uma posição conhecida, para um ou mais receptores.

Vários erros de posicionamento podem acontecer e podem limitar precisão para a faixa de 15 a 25 metros.

Portanto, quando alguém lhe oferecer um rastreador ou bloqueador via satélite, pode ser que o termo “via satélite” refira-se ao sistema de posicionamento através do GPS. Em alguns casos, não existe nenhuma atuação de sistemas satelitais. Fique atento!


Na prática, o que importa nos sistemas de rastreamento e bloqueio, é a efetiva ação, em tempo real, que a empresa prestadora de serviços poderá ter sobre o veículo, que nem sempre é via satélite. Só o sistema de GPS não garante a eficácia do sistema! Portanto, concluímos que:

- Há sistemas que a atuação e interação no veículo é via satélite, integralmente, desde o posicionamento via GPS até a atuação sobre o veículo.
- Há sistemas que utilizam somente o satélite de GPS para a obtenção das coordenadas geográficas, mas a atuação sobre o veículo se dá por outras tecnologias.
- Há sistemas que não utilizam nenhum tipo de satélite.

Confuso? Vamos esclarecer um pouco mais descrevendo o que é bloqueador e rastreador:

BLOQUEADOR > PAGER: Em geral são sistemas eletrônicos “wireless” que possibilitam bloquear o veículo à distância, utilizando-se para a comunicação e atuação, os conhecidos “pagers”. A cobertura desse sistema está restrita a área de atuação dos pagers. Trata-se do sistema mais simples, pois não tem como enviar as informações de localização do veículo. Somente consegue receber, pois os pagers são “one-way”. Portanto, esse sistema NÃO É VIA SATÉLITE. Facilmente você se deparará com propagandas deste tipo de produto, dizendo ser “via satélite”. Trata-se de propaganda inverídica, pois o sistema opera através de radiofreqüências alocadas aos pagers.

BLOQUEADOR > FM: Este sistema é barato e eficiente para o bloqueio, pois utiliza a sub-portadora de FM, a mesma utilizada para a sintonia do radio nos veículos. Neste sistema, as antenas de FM das emissoras contratadas pelo operador, enviam os sinais para o bloqueio do veículo, mediante solicitação à central da empresa operadora do sistema. A operadora poderá ter parcerias com diversas emissoras de rádio e distribuir o seu sinal de bloqueio para qualquer região onde haja uma emissora de FM. É um sistema simples “one-way” e não há como enviar informações do veículo sobre a sua localização.

RASTREADOR > CELULAR + GPS: Este tipo de rastreador agrega duas tecnologias, GPS e Celular. O GPS, conforme já descrito, é utilizado para a obtenção das coordenadas geográficas. A tecnologia do telefone celular, atua na recepção e transmissão de dados. Desta forma, através de um módulo eletrônico instalado no veículo, haverá o processamento das informações de coordenadas recebidas pelo GPS e será transmitida pelo celular, numa via “two-way”, podendo ocorrer a interação nos dois sentidos. Este sistema permite o rastreamento com boa precisão, porém fica restrito a área de cobertura das estações radio base das operadoras de celular, além de ter o seu funcionamento comprometido em ambientes fechados, pois não haverá o sinal do GPs (para efeito de coordenadas) e não será possível transmitir as informações pelo celular. Apesar do sistema utilizar-se de satélites de GPS e Celular, as propagandas não deixam isso muito claro, o que poderá induzir o consumidor a erro dependendo da forma em que for exposta, pois muitos acreditam que o funcionamento é 100% via satélite!

RASTREADOR > “CELULAR VIA SATÉLITE” + GPS: Funcionamento similar ao anterior, porém utiliza o serviço do celular via satélite, que em geral é utilizado em regiões distantes, onde não há ERBs da telefonia celular convencional. Muito utilizado em regiões remotas. Não tem restrição de cobertura, visto a boa performance do celular via satélite. É um sistema eficiente mas caro.

RASTREADOR> SATÉLITE GEOSTACIONÁRIO + GPS: É o genuíno sistema via satélite. Obtém as informações de coordenadas, via GPS e transmite e recebe sinais, de forma bidirecional, através de satélites geoestacionários ou de baixa órbita. Basicamente, no Brasil, temos duas tecnologias disponíveis e efetivamente eficientes. Uma opera no satélite Brasilsat, que é um satélite Geoestacionário, cuja órbita está em 38.000 Km de altitude. Trata-se do mesmo satélite que é utilizado para os sinais de televisão. Este sistema proporciona a transmissão e recepção de dados, inclusive, permitindo ao motorista enviar textos para a sua central, informando ocorrências, rotas, solicitações de apoio e tudo mais que for necessário de ser comunicado. A cobertura está restrita a área de pegada (footprint) do satélite.

RASTREADOR> SATÉLITE DE BAIXA ÓRBITA + GPS: Tecnologia via satélite, que também utiliza o GPS para a obtenção das coordenadas geográficas, conforme descrito. Os sinais são transmitidos e recebidos através de satélites da baixa órbita, denominados de LEO (Low Earth Orbit). Esses satélites proporcionam toda a interação sobre o veículo e do veículo para a central, inclusive, permitindo ao motorista, enviar textos para a sua central, informando ocorrências, rotas, solicitações de apoio e tudo mais que for necessário de ser comunicado. E como os satélites de baixa órbita trabalham? Primeiramente é importante visualizar a figura abaixo:

A rede de satélites de baixa órbita Orbcomm®️ é formada por:



A constelação é formada por 42 satélites de baixa órbita, controlados pelo centro de controle da Orbcomm®️. Existem 4 planos orbitais principais, denominados de A, B, C e D, cada um com 8 satélites, separados uniformemente entre si, dentro da órbita. Três dos planos principais, tem inclinação de 45° em referencia a linha do equador e uma separação angular de 120° entre eles e um quarto plano equatorial, com inclinação de 0°. Quatro satélites adicionais em um dos planos suplementares, denominados F e G, com inclinação de 70° e 80° respectivamente, são utilizados para cobrir zonas de alta latitude. Esses satélites estão cerca de 830 Km de altitude, por isso é denominado de baixa órbita. Já os satélites equatoriais, estão um pouco mais altos, a 975 Km de altitude.Os sinais são transmitidos para os satélites na faixa de 148 a 150 Mhz e recebidos pelo receptor entre 137 a 138 Mhz.

RASTREADOR> CELULAR ATRAVÉS DE ESTAÇÃO RADIO BASE (ERB): Este sistema baseia-se na estrutura existente das empresas de telefonia celular. Tais empresas distribuem pela cidade, antenas com rádios transmissores para o funcionamento dos celulares, que são conhecidas como ERB. O posicionamento do veículo não é preciso, porém a velocidade de comunicação é alta e pode-se fazer uma ampla comunicação de dados, obviamente, dentro da região de cobertura das antenas celulares.

RASTREADOR POR TRIANGULAÇÃO: Esse sistema utiliza antenas estrategicamente distribuídas pela cidade, onde é possível, pelo processo de triangulação, determinar o ponto onde o veículo está localizado, A precisão dependerá da disposição das antenas. Saindo do perímetro de abrangência das antenas, o sistema não funcionará.


CONSIDERAÇÕES: Há inúmeras outras aplicações para os sistemas de rastreamento, como por exemplo: logística de caminhões, barcos, balsas, aeronaves, máquinas agrícolas, transporte publico, containers de carga, controle de frotas, monitoramento de redes elétricas, outras. Há vários integradores dos diversos sistemas citados. Para conhecer algumas empresas clique aqui! Você encontrará algumas empresas que disponibilizam sistemas de rastreamento, bloqueio e componentes. Poderá servir para você tirar dúvidas ou então como fonte de consulta.

NOTA IMPORTANTE: Esta página é meramente informativa e visa esclarecer duvidas freqüentes de consumidores, que nem sempre possuem o conhecimento técnico para discernir os sistemas ofertados pela mídia. Não posso assegurar a eficácia de qualquer sistema citado. A escolha de um sistema de bloqueio e rastreamento é de livre arbítrio de cada consumidor.

Espero que as informações apresentadas, ajudem a você conhecer um pouco sobre os sistemas de rastreamento e bloqueio existentes no mercado, que certamente ajudará na melhor escolha.

Mas, com toda a tecnologia existente, não dispense o bom e velho “Totó” na garagem! Além de ser um bom alarme, é um excelente amigo!
avatar
Adilson (virso)
Admin

Mensagens : 75
Data de inscrição : 15/03/2009
Idade : 38
Localização : Penha - São Paulo - Capital

Ver perfil do usuário http://kaclubebrasil.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum